Empresa paulista adquiriu fábrica estanciana parada há mais de um ano



30/10/18 04h15   Estância e região Imprimir

 

 

Por Augusto Santos

            A vidroporto fábrica de embalagens de vidro para condicionamento de bebidas alcoólicas e alimentos, controlada pela Quatroefe participações, holding Patrimonial, detida por pessoas físicas e jurídicas adqueriu a IVN (Indústria Vidreira do Nordeste), localizada em Estância-SE. A IVN não está operando há mais de um ano e é controlada pela Ipiaram Empreendimentos e Participações e Saint-Gobain Vidros S.A.(SGV Vidros).

A aquisição foi aprovada em setembro próximo passado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Segundo Cade, a operação estimula a concorrência no setor de fabricação de embalagens de vidro na região do nordeste, dominada pela multinacional americana Owens-lllinois.

Inaugurada em 4 de abril de 2016, a fábrica estanciana voltada para a fabricação de recipientes de vidro para alimentos e bebidas, obeteve investidos de R$ 270 milhões, com incentivos concedidos pelo Programa Sergipano de Desenvolvimento Industrial (PSDI) do Governo de Sergipe. Com 30 mil m2 de área construida e equipamentos de ponta, havia a expectativa que aumentasse a produção brasileira da Saint-Gobain Vidro S.A. (SGV Vidros) em 25%.    

Com a suspensão de suas operações em 10/03/2017, ocorreu a demissão de 170 funcionários. A notícia caiu como uma bomba entre os funcionários e a sociedade estanciana. Uma nota enviada a imprensa (leia-se Jornal do Dia) na época pela direção da IVN foi informada que houve prejuizos financeiros nas atividades da fábrica, com consequências da crise econômica brasileira. A fábrica de Estância era a quarta da Saint Gobain no Brasil, além das unidades de produção em São Paulo, Porto Ferreira (SP) e Campo Bom (RS).

Agora com aquisição da IVN pela empresa Vidroporto S.A. e aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), mesmo sem uma previsão imediata de operação da fábrica, mas com a expectativa que ocorra no próximo semestre de 2019, têm deixado a população estanciana e região animada com futuro o funcionamento dessa indústria que gerará novos empregos para a população. (Augusto Santos)