Hemose convida população para doar sangue

A unidade trabalha com o objetivo de ampliar o número de doadores fidelizados, ou seja, aqueles que doam sangue com frequência, respeitando o intervalo de três meses para as mulheres e dois meses para os homens



07/10/21 10h48   Saúde Imprimir

 

O Centro de Hemoterapia de Sergipe (Homose) convida a população para doar sangue e colaborar com os estoques dos grupos sanguíneos, O, A, B e Ab, positivo e negativo. O sangue coletado e processado na unidade segue para o atendimento transfusional da rede hospitalar em Sergipe.

De acordo com dados do sistema Hemovida, o mês de setembro registrou 2.438 doações de sangue. “Com a retomada das cirurgias tivemos uma movimentação de doadores de reposição”, explicou a enfermeira e gerente de Coleta, Florita Aquino.

A unidade trabalha com o objetivo de ampliar o número de doadores fidelizados, ou seja, aqueles que doam sangue com frequência, respeitando o intervalo de três meses para as mulheres e dois meses para os homens. “Quando temos doadores frequentes conseguimos formar um estoque permanente para atender a demanda diária de pacientes”, salientou Florita.

Dentre o público, os colegas Ybson Severo, Filipe Silva Santos, Teodoro Junior e Juliana Patrícia da Companhia Sul Sergipana de Eletricidade (Sulgipe) que colaboram com o serviço a cada três meses. “Quando saímos do Hemose marcamos em nossas agendas dos telefones o retorno”, comentou Juliana.

Vale ressaltar que não existe substituto para o sangue. “O sangue desempenha um papel vital para a manutenção da saúde de pacientes com doenças sanguíneas ou em casos de cirurgias, urgências e emergências nos hospitais em todo Estado”, concluiu a enfermeira Florita Aquino.

Atendimento

O Hemocentro de Sergipe tem a responsabilidade de coordenar a política de sangue em todo o Estado, para atender a demanda de todas as unidades hospitalares e de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS) na capital e no interior, com quantidades adequadas de sangue para prestar assistência aos pacientes que precisam de transfusão.

Agência Sergipe Notícias